Diferença e uso dos quesitos regulares, quesitos suplementares e quesitos complementares, no novo Código de Processo Civil 2017-10-19T10:43:17+00:00

SIGA Rui Juliano na PERÍCIA JUDICIAL

Digite o seu e-mail para receber o conteúdo gratuito semanal de Rui Juliano. São e-books, infográficos, newsletter do mais experiente perito judicial.


Por que você deve se cadastrar?

Se a sua intenção é ser bem-sucedido como perito ou assistente técnico na Justiça, o conteúdo gratuito de Rui Juliano é a melhor orientação inicial.

Diferença e uso dos quesitos regulares, quesitos suplementares e quesitos complementares, no novo Código de Processo Civil

Considero esta newsletter proveitosa para você, que se interessa pela perícia judicial: ela contém um resumo de informações acerca das perguntas (quesitos) que o perito deve responder no seu laudo ou em complementação a ele.
Os quesitos são elaborados estrategicamente pelo advogado com a ajuda do assistente técnico.
O antigo Código de Processo Civil – CPC era bem claro quanto à definição de cada modalidade de quesito. O novo CPC nada mudou em relação a isso, porém deixou clara a possibilidade de utilização dos quesitos complementares, que antes já eram usados.
As respostas dos quesitos dadas pelo perito, nas modalidades exibidas nesta newsletter, são utilizadas pelo assistente técnico em seu laudo, a fim de corroborar e enfatizar a sua tese. Em um mesmo sentido, o advogado utiliza as respostas para defender aquilo que pede definitivamente no processo. Os dois pretendem que o juiz utilize as respostas como fundamentação da sentença, a favor de sua parte.
Vejamos a seguir os tipos de quesitos que, facultativamente, as partes e o juiz podem fazer….

Para continuar lendo digite o seu e-mail abaixo: